Domingo, 12 de Abril de 2009

- O maldito bilhete! Onde é que está o bilhete? Devia ter avisado que não me podem dar papéis para a mão.  Guardo tão bem que nunca sei onde está!
- Ai, Ai, vem aí o revisor. Entorno a carteira na mesa do comboio. Há de tudo. Lapiseira, papeis vários, porta-moedas, telemóvel, batom, elásticos para o cabelo… (o verdadeiro diário de bordo tem de ter os bilhetes de tudo, não é) Eu tenho!  Logo eu. Que ironia.
SofiaCMoniz
 
 
O Último dia desta maravilhosa jornada amanhece, um sentimento de melancolia já começa envolver a todos…mas por baixo desse véu, uma alegria e ansiedade contida. Que bom é regressar para perto de quem queremos bem, para o nosso espaço, para o nosso lar…Ui! Tantas lambidelas que eu vou levar do meu amor de 4 patas!
Ana Ambrósio
 
 
"Hora"
(...)
Sinto que hoje novamente embarco
Para as grandes aventuras,
Passam no ar palavras obscuras
E o meu desejo canta -por isso marco
Nos meus sentidos a imagem desta hora.
(...)
Sophia de Mello Breyner Andresen
Às vezes precisamos das palavras do outro para dizer o que sentimosMarco nos meus sentidos todas as horas que passei no MAEestágio.A aventura da vida tem agora outros rostos, outros olhares, outros saberes, outros afectos, outros significados.
Até breve,
Rosa Montez
 
 
Só tenho uma palavra para designar aquilo que começo a sentir quando percebo que estamos quase no fim: VAZIO.
Filipa
 
 
"Não vou chorar. Não vou chorar. Não vou chorar... VOU chorar!!!" E chorei. Chorei pelos amigos que tinha feito, pelas saudades, pelo cansaço, por tudo o que aprendi. E foi a Maria João que me abraçou. Disso não me esqueço. Que surpresa foi a nossa MAEstrina! Fui embora mais cedo, com o meu "Sheriff", mas um bocadinho de mim foi naquele comboio e em cada carro que se afastou. Um bocadinho de mim ficou no Fundão e outros viajaram até aos Açores, à Madeira, ao Alentejo, a Viseu, estenderam-se ao imaginário, e abraçaram Portugal. Ofereci muitos pedacinhos de mim, não os perdi. Ganhei muitos pedacinhos também. E, para mim, esse é o maior presente que me podem dar. Foi com esta música na cabeça que segui viagem.
Ana Ferreira
 
Está a chegar ao fim…
Como é estranho…
Sinto já saudades e ainda não sai daqui…
Sinto que se criaram elos que não se vão perder, outros que vão enfraquecer, mas serão sempre elos da mesma cadeia, a cadeia MAE. Os/as MAEstranhos/as que viraram MAElos…
Sei que daqui a pouco vou estar em casa, mas deixem-me aproveitar MAEs um pouco a vossa companhia, o som da vossa voz, a cor do vosso olhar, o movimento do vosso ser…
Hoje acaba uma etapa, amanhã começará outra.
Até MAEs, sempre MAEs!
 
"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes mas, não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."
Fernando Pessoa
Maria João
 
 
As despedidas entre a comunidade e os visitantes, que já se sentiam em casa, lá se fizeram… Mas foi durante o almoço que as emoções começaram a brotar das janelas da alma. O adeus que não se queria dizer, com a promessa de um reencontro para breve...Não gosto de despedidas, um “até logo” soa sempre melhor…um “adeus” encerra em si uma prolongada ausência ou um até nunca mais…mas, gostei de te conhecer! Naquele momento, do qual me mantive mais espectadora do que interveniente (foi mais fácil assim), quis acreditar que de facto nos havíamos de reencontrar e sim, ainda acredito, mas uma esmagadora parte de mim dizia que não…Os caminhos começaram a divergir, mas ainda um grande grupo seguiria junto pelas vias de ferro!A viagem não teve já as mesmas peripécias, uma calma predominava e o cansaço apareceu, dissimulado que estava pela constante acção. Uns agarraram-se ao computador…- Passa-me as fotos!- Já me deste as tuas?- Olha, olha, tu aqui…Outros faziam contas de cabeça (eu) e outros ainda olhavam apenas o horizonte passar… (já ninguém tirava fotos!) há…e havia ainda quem olhasse para as lesões desta aventura !! Uma aventura, sim…muito rica em todos os aspectos…mas neste momento (supostamente domingo) tenho a sensação de amnésia, o que é que se passou durante estes dias, não me lembro !!! flashes, momentos isolados…não consigo encadear os acontecimentos, talvez amanhã passe!
Bjs, Ana Ambrosio
 
Último Maedia de estágio, 

Aproximem-se as despedidas e o fim do Maeestágio. Queria mais!!! mas termina aqui esta bela aventura...
 

Não não... não termina toda o grupo Mae irá manter-se unidos e agora mais próximos uns dos outros, com outras percepções de quem irá escrever um texto. Iremos interiormente ouvir suas vozes, tentar imaginar as diferentes expressões que irão transparecer das palavras que irão ser escritas na plataforma do Mae e no blog que está sendo criado como uma peça de teatro ou espectáculo que foi interpretado por nós MAEhumanos.
 

MaeAbraços

Katy
 

 

 
No ano em que estive na Capadócia; no ano em que sobrevoei o Salto del Angel, no ano das JMJ 2000
É!... Normalmente marco os anos da minha vida não por datas mas pelas “viagens”… por tudo o que elas me proporcionam: o antes, o durante, o depois… as cores, os sons, os aromas…o que conheci, o que partilhei, o que testemunhei…. E todas as emoções.
Este MAEestágio é uma das minhas “viagens”.
Um forte abraço para todos,
 

Retroacção e encerram... até Breve!

Elsa Mesquita

 

 

publicado por daceaomundo às 00:45
link do post | comentar | | | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
arquivos

blogs SAPO


Universidade de Aveiro